Dúvidas Frequentes

Trata-se do conjunto de atividades necessárias para assegurar o abastecimento de água potável e a coleta e tratamento do esgoto, assim como a infraestrutura e as instalações para realizar esses serviços.

É aquela que pode ser consumida pelo ser humano, seja para beber seja para o preparo de alimentos, por não carregar substâncias que ofereçam risco à saúde. Nas operações, a qualidade da água é assegurada por rigoroso controle físico-químico e biológico e atende ao que é exigido pela Portaria nº 2914/2011 do Ministério da Saúde, que determina os padrões de potabilidade.

O objetivo desse procedimento é remover da água impurezas e as substâncias que, mesmo presentes naturalmente no meio ambiente, possam representar risco ao ser humano. O tratamento é feito em estações especialmente construídas para essa finalidade, que recebem a água bruta, captada de rios e represas. Para o tratamento, essa infraestrutura se vale, por exemplo, do uso de filtros e da aplicação de cloro e flúor.

A “fluoretação” da água canalizada é recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e, no Brasil, pelo Ministério da Saúde, para prevenir às caries dentárias. O flúor é um mineral natural encontrado em toda a crosta terrestre e na natureza de forma geral.  Ajuda a prevenir as cáries ao fortalecer o esmalte dos dentes.

Sim. A água fornecida por todas as operações da Iguá Saneamento passa por um rígido processo de tratamento e um rigoroso controle de qualidade. 

Sim. A água fornecida por todas as operações da Iguá Saneamento passa por um rígido processo de tratamento e um rigoroso controle de qualidade. 

A instalação de filtro é uma decisão pessoal. Se a preocupação for com a qualidade da água que chega em sua residência, não há necessidade, pois os processos de tratamento utilizados pela asseguram que ela pode ser ingerida e usada no preparo de alimentos.

No entanto, as condições da água que sai pelas torneiras também são influenciadas por outros fatores, como o estado de conservação e limpeza das caixa d’águas e dos encanamentos internos. Se você não tem segurança sobre a boa conservação desses equipamentos, talvez possa optar pela instalação de um filtro, que, de qualquer forma, pode ajudar a reduzir o eventual gosto de cloro que pode caracterizar a água tratada.

Não. A quantidade de cloro presente na água que chega às torneiras obedece os limites estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

Antes de tudo, é importante verificar se essa alteração de cor já pode ser observada na água que chega à residência. Para tanto, basta abrir o ponto de água que fica ao lado do hidrômetro. Se a cor da água estiver alterada, o usuário deverá entrar em contato com a operadora. Pode ser que a ocorrência tenha relação com alguma obra realizada na rede de distribuição.

Se nenhuma alteração for verificada, é possível que a mudança de cor tenha relação com algum problema na caixa d'água e na rede interna da residência.

Não. Esse fenômeno ocorre quando há aumento de pressão na rede de distribuição, que reage com o oxigênio e outros gases naturalmente dissolvidos na água, formando microbolhas e gerando essa aparência "leitosa".

Essa ocorrência é passageira. Para verificar, coloque a água num copo e observe que ela volta a ficar transparente em alguns segundos. Essa água poderá ser consumida normalmente.

Se você, por alguma razão, achar que houve alteração na qualidade da água de sua residência, entre em contato com a operação da Iguá Saneamento em sua cidade, que enviará um técnico para averiguar o problema, se necessário.

Após a coleta, o esgoto é enviado para uma estação, onde é devidamente tratado e devolvido aos rios na forma de água limpa.

Trata-se de um processo realizado numa estação específica. O tratamento ocorre em várias etapas, que incluem a separação do líquido e do lixo sólido que vem junto com o esgoto (como pedaços de papel e garrafas plásticas), a remoção dos dejetos, a ação de microrganismos que se alimentam da matéria orgânica e, naturalmente, transformam o que chega às Estações de Tratamento em água dentro dos padrões exigidos pelas autoridades ambientais para voltar à natureza.

O saneamento básico, e o tratamento de esgoto em particular, são essenciais para assegurar a qualidade de vida da população e prevenir a ocorrência de doenças.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) calcula que, para cada dólar investido em abastecimento de água potável e tratamento de esgoto, são economizados cinco dólares em atendimento médico. Para o órgão, 88% das mortes por diarreias no mundo são causadas pelo saneamento inadequado, e as crianças são as principais vítimas.

No Brasil, estima-se que 65% das internações hospitalares de crianças com menos de 10 anos sejam provocadas por doenças provocadas por falta de água limpa e coleta adequada de esgoto.